Notícias

Zildjian®: Uma biblioteca de sons.
17/05/2016

Com um legado de quase 400 anos, a Zildjian® está sempre se renovando e se reinventando com novas linhas e modelos de pratos. Todos sabem que os pratos fazem parte da bateria e sua rica sonoridade cria um equilíbrio harmônico com o som dos tambores, fazendo com que a bateria seja um instrumento único.

Existem muitos modelos de pratos com uma diversidade de diâmetros e pequenas diferenças que podem variar de acordo com sua função, proposta, sonoridade, tamanho, espessura, peso, dentre vários outros detalhes. A forma como o prato é moldado, torneado e martelado influi em suas características sonoras.

Um prato é formado pela cúpula, corpo e borda e cada uma dessas regiões produz uma sonoridade peculiar. Confira a seguir:

  • Perfil: é o grau da curvatura a partir da cúpula até a borda. O perfil ou a curvatura de um prato determina sua afinação e sonoridade. Pratos com perfis mais altos possuem afinações mais agudas e com menor projeção. Já os de perfil mais baixo possuem afinação mais grave e maior projeção.
  • Torneamento: é o grau de variação da espessura a partir da cúpula até a borda. A variação desta espessura determinará se o prato será um modelo de condução ou ataque. Os pratos de condução (ride) possuem uma maior espessura para um melhor som de “ping”, enquanto os pratos de ataque (crash) possuem uma espessura mais fina para uma sonoridade com projeção.
  • Cúpula: considerando-se igualmente todos os demais fatores, o tamanho da cúpula determina o volume do som gerado pelo prato. Uma cúpula maior produz mais volume e uma resposta mais encorpada. Uma cúpula menor reduz o “sustain” do som oferecendo uma maior definição nas notas de repostas (baquetadas) empregadas durante a condução (“ping” definido).
  • Área de condução: é a parte central da superfície do prato. Esta área não se abre imediatamente quando tocada, oferecendo uma sonoridade definida de baqueta (ping).
  • Área de ataque: trata-se de toda a borda exterior onde o prato é tocado pela baqueta. A resposta de “crash” é imediata.
  • Diâmetro: área determinada pelo tamanho do prato. Pratos maiores proporcionam mais sustain, com resposta mais lenta e afinação mais grave. Pratos menores respondem mais rapidamente, porém com menos “sustain” e uma afinação mais aguda.
  • Peso: pratos mais pesados possuem uma afinação mais aguda. Quanto mais metal o prato possuir, maior a sua projeção, seu volume e seu “sustain”. Os pratos mais pesados oferecem um "ping" (toque) proeminente com tonalidade mais comedida e levando mais tempo para atingir sua vibração ideal. Já os pratos mais leves possuem menor definição nas notas empregadas (baquetadas), resposta mais rápida e menos “sustain”.
  • Martelamento: a técnica do martelamento aleatório, na maioria das vezes feito manualmente, consiste em aplicar no prato um martelamento irregular sobre toda sua superfície. Isso faz com que o prato tenha uma afinação mais grave e “dark”, reduzindo a ressonância. Já a técnica do martelamento simétrico, que na maioria das vezes é feito com o auxílio de máquinas (martelamento pneumático), consiste na aplicação do martelamento, seguindo um padrão único através de toda a superfície do prato. Isso faz com que o perfil do prato mude para uma afinação mais alta com brilho. Os pratos que recebem um martelamento extra após terem sido torneados, terão uma sonoridade mais definida com menos harmônicos.
  • Sulcos tonais (ranhuras): são produzidos durante o estágio final do torneamento. Eles facilitam a propagação sonora do prato. Sulcos tonais mais largos e profundos produzem um som mais aberto. Já sulcos tonais mais finos "encurtam" a vibração sonora. Pratos sem sulcos tonais (pratos não torneados) oferecem menor projeção, resultando em uma proposta sonora mais "contida", aumentando suas qualidades de condução.
  • Seleção de baqueta: a correta escolha do modelo de baquetas a ser utilizado é de suma importância no resultado sonoro oferecido pelo prato. Assim como para cada estilo musical, para cada linha de pratos existem baquetas adequadas para um melhor resultado final de sua música. A sonoridade obtida varia conforme a madeira (peso, densidade e fibras) e sua anatomia (cabo, corpo, pescoço e cabeça/ponta). Aguarde, teremos um capítulo especial sobre baquetas em breve!

Saiba onde encontrar os modelos de pratos Zildjian®, consulte nossa lista de revendas oficiais Zildjian® e credenciadas pela Pride Music em todo o Brasil, escolha a mais próxima de você ou de sua predileção, e faça o seu test-drive!

Para mais informações sobre toda a linha de pratos e acessórios Zildjian® disponível ao nosso mercado, acesse o site oficial da Zildjian® no Brasil exclusivo em português.

 
Prefira sempre produtos originais e importados legalmente, pois eles são a garantia de sua satisfação.
Clique aqui e saiba onde encontrar um equipamento 100% legal.

Últimas Notícias:

27/04/2018: Zildjian K Sweet ganha o Prêmio MIPA 2018!

14/11/2017: Zildjian® Low Volume L80 nas escolas!

06/11/2017: Um especial Zildjian® celebrando os 100 anos de Buddy Rich!

18/10/2017: As novidades que a Zildjian® apresentou na Expomusic 2017!

02/10/2017: A Zildjian® em contagem regressiva para a Expomusic 2017!

+ notícias